domingo, fevereiro 26, 2006

Câmara Municipal de Aveiro dispensa salas de chuto

" A Câmara de Aveiro afasta a possibilidade de, num futuro próximo, apresentar qualquer proposta de criação de uma "sala de chuto" na cidade. Segundo afiança o vereador Capão Filipe, a estratégia passa por "optimizar" as acções ao nível da 'prevenção, reinserção social e laboral e, mais do que tudo,na melhorias da capacidade de assistência aos toixicodependentes'.
O autarca considera qualquer opção que vá no sentido de dar prioridade à criação de uma sala de injecção assistida representa a escolha de "uma medida de fuga para a frente". Segundo comenta Capão Filipe, 'seria admitir que a sociedade foi insuficiente na prevenção, assistência e reinserção'."
( Público de quarta feira, 22)

Este discurso surge, curiosamente, numa cidade em que o número conhecido de toxicodependentes tem vindo a aumentar ( mesma fonte ). E em que a prevenção do risco é ainda uma miragem, as estratégias de redução de danos são pouco conhecidas,a sinalização de jovens nas escolas tem lugar apenas quando os comportamentos são disruptivos e interferem severamente com a aprendizagem escolar, etc.
Não entro sequer na discussão de problemas sociais mais profundos, com os quais convivemos diariamente.
Diz a nova autarquia que vai apostar na "capacidade de assistência". Nós estaremos cá para ver.